CÉU AZUL

Impressões de viagens, alquimia de verbos, tempo quando sobra e dá vontade. Casamento de sonho com vigília. Corpo de ser vagando pela dimensão das palavras.

Sunday, October 07, 2007

Tulse Lumper´s suitcases

92 malas
urânio-inspiradas, 92
objetos pra representar o mundo. Uma empreitada digna
de Arthur Peter Bispo Greenaway do Rosário.

À entrada da exposição, um pequenestreito corredor
em cujo teto são projetadas imagens :
1 homem / 1 mulher - triplicados.
A vertigem ainda está por vir
e acontece
quando entramos na sala de exposição
propriamente dita.

As malas espalhadas, organizadas e abertas,
revelam suas coleções,
por vezes com projeções visuais (digitais) complementares.
Na parede à direita, negra,
uma carpa japonesa parece nadar no espaço. Aqui e ali
as malas surpreendem :
a mala dos sapos, a mala da água com seus vapores e borbulhas,
a mala do arco-íris com seu vazio e o espectro luminoso
refletido. Não se pode fotografar.
A mala do pote de cerejas,
A mala da tinta amarela,
a mala do chumbo,
a do urânio e a imagem da bomba explodindo ( o mundo
esqueceu dessa imagem ? ),
a mala das bonecas,
a dos bonecos de barro de Mestre Vitalino também.
A de Graciliano Ramos em seu cárcere,
a de Carlos Zéfiro,
a cheia de mel onde se pode meter o dedo e lamber.

A mala dos cacos de vidro,
a com 92 velas apagadas,
a bela mala
com cardápios antigos de restaurantes franceses,
a impactante mala contendo um cão morto,
como se fosse Pompéia...
A mala dos protestos anti-americanos,
a mala das impressões digitais...

Em todas, o cinema respira,
ganhando novos pontos de vista,
novas possibilidades.

1 Comments:

Blogger romulo de almeida said...

hum
bem revelador. descoberta/descoberto. a forma escrita, expositiva, junto à abertura das malas expostas, convive.

há parentesco de forma, cheia,com o escrito PAUL GAUGUIN.

12:16 PM  

Post a Comment

<< Home