CÉU AZUL

Impressões de viagens, alquimia de verbos, tempo quando sobra e dá vontade. Casamento de sonho com vigília. Corpo de ser vagando pela dimensão das palavras.

Saturday, October 13, 2007

Paul Gauguin

Do outro lado do mundo, as cores mais puras talvez, a confirmar a visão já descompensadamente delirante de absinto e doença. Seria o Selvagem, usaria pareôs e peito nu refrescado pela brisa marinha de gigantes ondas muito verdes, em praias de sol e areia muito rosa.

Seria uma libertação qualquer do que PRECISAVA ser libertado, a saber uma alma configuradamente simbolista. O selvagem que percebe a largura de uma folha orvalhada pela noite profunda próximo a um vulcão de cianureto. O doce cheiro do sexo das frutas abertas sobre esteiras trançadas, despudoradas, desavergonhadas, como em França não se via tão límpidas.

Seria primitivo, em planos arredondados e bem delineados, planos morenos e de tantas cores complementares e opostas, que inauguraria a possibilidade até então remota de um mundo paradisíaco e carnal, diferente do exotismo delacroixziano.

Seria taitiano, seria egípcio e japonês, criando uma linguagem visual sem igual, onde antes só havia bailarinas ou cenas de passeios no Sena. Esse deslocamento geográfico em relação ao Sol. Diferente de Van Gogh, ele era, e era muito mais completo. Há uma afirmação humana implícita na pintura de Gauguin muito mais imponente e democrática que na pintura nervosa do holandês. E uma simultaneidade, quando dos retratos duplos, sendo estes, de uma mesma pessoa. Cubismo ?

Sobre todas as dificuldades de um corpo lentamente doente, e dificuldades financeiras, mais um caráter notavelmente "difícil", a pintura se realizou como um oásis, com uma organicidade comovente.

Pintor arrogante, dândi espalhafatoso, vagabundo transcontinental,
Paul Gauguin lá do outro lado, em 1900, realizou a máxima de ser absolutamente moderno, e pagou caro pelas consequências.

1 Comments:

Blogger romulo de almeida said...

hum muito lindo, e perto do apaixonante. uma análise não fria/ uma proposta perto das cores e de outro jeito das coisas.

12:09 PM  

Post a Comment

<< Home